Navegar é preciso: o lema dos vinhos da Madeira

/
0 Comments
Por Viviana de Oliveira, Sommelière

Entre especialistas, quando se fala de grandes vinhos do mundo é normal que haja um Madeira no lote. Infelizmente, estes vinhos continuam a ser desconhecidos por aqui, seja entre o público em geral, seja mesmo entre os enófilos. As razões para esse desconhecimento são várias. É um vinho menos imediato do que um Porto, a distribuição é mais reduzida (devido também à menor produção) e os troféus - aqueles vinhos que nos levam ao delírio e que no caso poderão chegar aos 100 anos sem que se dê por isso - são ainda menos acessíveis do que os seus 'primos' Portos.
            Como diz o próprio nome, o vinho provém da ilha da Madeira, mundialmente reconhecida como destino turístico de excelência por sua beleza, seu clima, seu povo acolhedor e sua gastronomia. Os vinhedos, cultivados há centenas de anos, são o marco paisagístico da ilha. Atualmente, os turistas que vão lá a passeio enchem suas malas com o renomado vinho. Exatamente o mesmo que faziam  os marinheiros na época das grandes navegações. Estocavam as caravelas com barris e saíam vendendo e bebendo o vinho durante a viagem. E foi assim que acidentalmente descobriu-se o verdadeiro estilo de Madeira: o vinho que voltava de viagem, exposto ao oxigênio e ao calor do clima oceânico, era curiosamente mais aromático e apresentava novos sabores considerados bastante exóticos.
            Elencados à Madeira desde a descoberta do arquipélago em 1419, o sucesso desse novo estilo de vinho fortificado logo espalhou-se mundo afora, tanto que o néctar português esteve presente em diversas ocasiões solenes ao longo da história. Foi um Madeira o vinho escolhido para brindar a independência dos Estados Unidos em 1776. As mulheres aristocráticas na Inglaterra do século XVIII o aproveitavam para perfumar seus lenços. E ninguém menos que Shakespeare utilizou o vinho como referencia em diversas peças de teatro, sendo o episódio mais memorável o de Henrique IV, quando o cômico personagem Falstaff vende sua alma ao diabo em troca de uma coxa de frango e uma taça de Madeira.
            Para começar a se aventurar, é bom lembrar que os vinhos Madeira são classificados de acordo com os anos de envelhecimento: cinco, dez e quinze anos. Os envelhecidos de vinte anos e feitos com apenas uma variedade de uva são chamados de  Vintage. Também há os Colheitas, que embora também produzidos com uma só uva, são mais jovens que os Vintage. Existem quatro níveis de doçura (doce, meio-doce, meio-seco e seco), e as principais uvas utilizadas são a Sercial, a Boal, a Malvasia e a Verdelho, sendo a Malvasia a mais famosa. Uma boa opção para experimentar são os Madeiras da Henriques & Henriques. Seus vinhos refletem a qualidade de suas uvas e o empenho em produzir exemplares típicos da ilha em uma ampla gama.

Madeira 5 Anos Full Rich De R$ 101 por R$ 80Zahil importadora tel.: 31 3227 3009







You may also like

Nenhum comentário: